Porque investir em Previdência Privada?

Quando pensamos em aposentadoria, deveríamos pensar em como chegar lá e de que forma chegar. Nós brasileiros não estamos acostumados a pensar muito longe, afinal de contas a maior parte da população ainda está preocupada com o que vai comer no dia seguinte. Porém, sem querer aprofundar sobre os problemas que envolvem a Previdência Social e de como os Bancos contribuem para que os brasileiros continuem “ignorantes” sobre a matéria, resolvi elencar alguns argumentos sobre a importância de se investir em Previdência Privada.

O plano de previdência privada como instrumento do planejamento financeiro pessoal.

Todo investimento em previdência privada deveria estar alinhado com os objetivos de um planejamento financeiro que cada um de nós deveria ter. Isso quer dizer que este tipo de aplicação financeira deveria fazer parte da carteira de investimentos das pessoas como mais um ativo alocado de forma estratégica para se chegar à aposentadoria, ou melhor, chegar àquele momento em que vamos depender muito mais de nosso patrimônio do que de nosso trabalho para continuar a nos manter. Suas caraterísticas únicas descritas abaixo proporcionam agilidade e consistência a um planejamento financeiro de qualidade que deveria ser valorizado não só pela rentabilidade da sua carteira de investimentos, mas também pelas articulações possíveis dentro dos muitos objetivos que uma pessoa possa vir a ter ao longo de sua vida.

O plano de previdência privado como facilitador no processo de acumulação de recursos.

Como a educação financeira é muito incipiente em nosso país um plano de previdência privado talvez seja o primeiro contato de muitas pessoas com um planejamento financeiro. O que permite ela assumir este papel educacional é a possibilidade de fazer com que o valor da contribuição mensal ao plano seja debitado automaticamente da conta bancária. Este débito automático mensal da conta corrente deve ser enaltecido, pois ele ajuda no processo de acumulação dos recursos sem que tenhamos que lembrar disso todos os meses. A ideia é que este valor de contribuição mensal ao plano passe a integrar o orçamento pessoal como se fosse uma despesa mensal corriqueira como é uma mensalidade escolar, um aluguel ou a parcela de um financiamento. Com o passar do tempo e com a ajuda da rentabilidade do fundo, as pessoas podem verificar o quanto aquele pouco contribuído mensalmente pode fazer de diferença no futuro.

Plano de previdência e suas múltiplas finalidades.

Porque resolvemos contribuir para um plano de previdência privado? A resposta mais óbvia é porque queremos complementar a renda de nossa aposentadoria quando ela acontecer. É verdade, porém os planos de previdência podem ter outros objetivos. Eles também podem ser usados para:

Planejamento financeiro. Você já pensou o quanto custa um curso de medicina de uma faculdade particular? E porque não aproveitar para acumular recursos através de um plano de previdência constituído especificamente com este objetivo?

Planejamento sucessório patrimonial. Se você tem patrimônio (imóveis, investimentos, etc), o dinheiro acumulado em um plano de previdência pode ajudar seus filhos a custear o processo de inventário do seu patrimônio. A previdência não entrar no inventário e seus recursos acumulados vão direto para os beneficiários no caso de morte de seu titular.

Planejamento fiscal. Utilizar um plano do tipo PGBL para diminuir a base de contribuição ao IR é uma forma de pagar menos impostos e acumular recursos para o longo prazo.

Benefício corporativo. Nos EUA e na Europa, antes de aceitar uma proposta de emprego as pessoas analisam o plano de previdência da empresa contratante. Este é um benefício determinante para uma mudança de empresa. Esta é uma realidade que já está presente no Brasil.

Vantagens da previdência que nenhuma outra aplicação financeira possui.

É verdade, a previdência privada possui vantagens que só ela possui, vantagens que praticamente ninguém conhece como:

Renda futura: a previdência é o único tipo de investimento que possibilita transformar o saldo acumulado dos seus recursos em renda futura. A renda pode ser programada, ou seja, você decide quando e como transformar os recursos acumulados em renda.

Portabilidade: é a possibilidade de poder migrar seus recursos para outros fundos previdenciários sem a necessidade de resgate dos recursos. Acha isso pouco? Experimente trocar de estratégia de investimento devido a uma mudança econômica do país sem ter que pagar imposto de renda sobre suas aplicações financeiras? Com a portabilidade você não resgata seus recursos investidos e pode mudar de fundos de renda fixa para fundos multimercado e vice-versa adequando sua estratégia de investimento sem maiores consequências sobre os recursos investidos.

Alíquota de IR de 10%: Nenhuma outra aplicação financeira dentro do Sistema Financeiro Nacional pode ter esta alíquota de IR. É a menor alíquota de IR existente sobre aplicações financeiras e é de exclusividade da previdência privada.

06/06/2016 – Giannandrea Tagliavini

Compartilhe

Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Posts relacionados